São Paulo, 18 de setembro de 2013 – Para avaliar diferenças de preço praticadas pelas farmácias em todo o Brasil entre os genéricos e os medicamentos de marca, a Eurofarma Laboratórios encomendou uma pesquisa em âmbito nacional e constatou que, ao contrário do que se imagina, nem sempre o medicamento genérico é a opção mais econômica para o paciente.

A pesquisa considerou 5 produtos (em 9 apresentações), de 16 laboratórios nacionais e multinacionais. Ao todo, 4.454 farmácias, distribuídas de forma representativa em 485 municípios, participaram do levantamento. Os resultados demonstram que, dentre as nove apresentações pesquisadas, cinco produtos de marca da Eurofarma se mostraram mais baratos do que as versões genéricas correspondentes (considerando o preço médio praticado em todo o país).

Um exemplo é o SINOT®, antibiótico com venda sob prescrição médica, apresentação de 400mg. O preço médio de Sinot® no Brasil é 8% menor do que a amoxicilina genérica dos três principais laboratórios concorrentes que comercializam o produto. Entretanto, as opções genéricas ainda são as mais vendidas. Já PLAQ®, um anticoagulante, apresentação 75 mg, pode ser encontrado por um preço até 25% menor do que o clopidogrel genérico da concorrência.

Outro caso que merece destaque é o VENLAXIN®, antidepressivo e ansiolítico, com venda mediante receituário médico, na concentração de 75mg. O preço médio de Venlaxin® no Brasil, segundo a pesquisa, é de R$ 22,04, enquanto a venlafaxina genérica registra uma média de R$ 38,93 – uma diferença de 43%. Apesar de o medicamento da Eurofarma ter uma grande parcela da prescrição média e contar com uma boa capilaridade, inclusive com a maior presença em drogarias de todas as regiões geográficas do país, a versão genérica ainda é mais procurada pelos pacientes.

Considerando a preocupação de médicos e pacientes com o preço do medicamento, fundamental para a adesão e cumprimento do tratamento, há uma percepção equivocada da população de que os medicamentos genéricos apresentam sempre os melhores preços. Nesse sentido, o objetivo da divulgação dos dados levantados na pesquisa é justamente o de desmistificar essa crença e orientar a população para que, sempre que possível, realize uma pesquisa de preços.

Como em qualquer setor, também no varejo farmacêutico há o interesse comercial do ponto de venda, o que justifica, em parte, o fato de que nem sempre o medicamento oferecido é o mais econômico para o consumidor. O médico é grande aliado dos pacientes e igualmente sensível à relação custo x benefício dos medicamentos, recebendo todas as informações dos laboratórios e recomendando, no momento da prescrição, o que acredita ser a melhor opção para cada tratamento. Reconhecer a importância do médico e respeitar a prescrição é uma alternativa para o paciente, que não deve descartar uma pesquisa ativa e consciente no ponto de venda.