A Eurofarma trabalha constantemente para diminuir a geração de resíduos e aprimorar a destinação final, para reduzir os impactos ambientais e financeiros, uma vez que a produção de resíduos é o principal impacto ambiental das suas atividades industriais e comerciais. Em 2015, uma nova Central de Resíduos foi inaugurada no Complexo Industrial de Itapevi, que responde por aproximadamente 80% da produção de medicamentos da empresa. A área contempla locais distintos para armazenamento de resíduos orgânicos, recicláveis e perigosos (sólidos líquidos e infectantes), possibilitando uma melhoria na gestão operacional.

Para mitigar os impactos da geração de resíduos, a Eurofarma tem realizado parcerias pioneiras com universidades para encontrar soluções práticas para viabilizar a descontaminação das embalagens primárias de medicamentos pelos próprios consumidores. O objetivo é possibilitar a destinação para o sistema de coleta seletiva urbano. Até o momento, esse resíduo é classificado como perigoso, sendo direcionado para destruição térmica.

A empresa utiliza um sistema informatizado de controle de resíduos no SAP, que possibilita maior confiabilidade nos controles operacionais e rastreabilidade dos resíduos descartados pelos processos industriais.

 

Resíduos perigosos: destinação final – incineração e coprocessamento

Atualmente, o volume destinado ao coprocessamento é de 96%. Este método que reaproveita os resíduos perigosos – com elevado poder de combustão – é considerado menos poluente, uma vez que utiliza fornos de cimento para o processo de queima dos resíduos, com o aproveitamento da energia liberada. No outro processo, a incineração, a queima do resíduo é feita em fornos e usinas próprias, destruindo os microrganismos que causam doenças. O material resultante dessa queima (cinzas) é encaminhado para aterros sanitários, um procedimento eficaz, porém, mais poluente e, em média, 60% mais caro.

 

Resíduos perigosos: pilhas e baterias

A Eurofarma disponibiliza em suas Unidades coletores para o recebimento de pilhas e baterias, tanto de colaboradores como prestadores de serviços e visitantes. Os materiais são destinados para reprocessamento, que consiste em processo de secagem/calcinação, reação química, moagem, balanceamento, formulação e misturas dos sais e óxidos metálicos extraídos. O produto obtido desse processo é direcionado para uso, por exemplo, em corantes.

 

Resíduos recicláveis

Desde 2002, funciona na empresa o programa de coleta seletiva, com coletores instalados em todas as Unidades. Também são realizadas anualmente campanhas de educação e sensibilização com os colaboradores, de forma a fomentar uma mudança de comportamento dentro e fora das instalações da empresa. Para incentivar a prática, toda a receita arrecadada com a venda de recicláveis coletados é revertida para o programa de Mãos Dadas com a Escola, que beneficia os colaboradores.

 

Resíduos orgânicos

Paletes danificados e embalagens de madeira do Complexo Industrial de Itapevi são destinados para processo de moagem e transformação por meio da biomassa (fonte de energia renovável) para geração de energia. Esta tecnologia é mais econômica e causa menor impacto ao meio ambiente, por não ter a dependência de queima de óleo diesel, gás natural e outros meios de energia considerados mais poluentes.