No dia 12 de novembro celebramos o Dia Mundial de Combate à Pneumonia. A data foi criada para promover ações de combate à doença, conscientizar sobre os riscos da pneumonia e promover intervenções para proteger e tratar o distúrbio.

A pneumonia é uma infecção nos pulmões. Ela pode ser causada por vários microorganismos diferentes, incluindo vírus, bactérias, parasitas ou fungos. Confira abaixo mais informações sobre a doença.

 


Como a pneumonia é transmitida?

A transmissão é muito variável, mas pode ocorrer por via aérea, por via hematológica (sangue) e por aspiração.

Quais os grupos de riscos?

  • Idosos acima de 60 anos
  • Crianças menores de 2 anos
  • Pessoas com comorbidades associadas (doenças cardíacas, pulmonares, renais e diabéticos)
  • Obesos
  • Grávidas (como condição peculiar).

A Gripe pose se associar tanto a Pneumonia Viral quanto a Pneumonia Bacteriana. Confira as diferenças de Pneumonia Viral versus Pneumonia Bacteriana.

 


Peculiaridades do Vírus H1N1

Sintomas

  • Falta de Ar Intensa
  • Índice de Saturação abaixo de 95%
  • Febre mais elevada
  • Comprometimento do estado geral é mais importante
  • Tosse seca mais irritativa e mais duradoura
  • H1N1 é comum apresentar complicações pulmonares mesmo em pessoas previamente saudáveis.

Os vírus podem aumentar o risco de complicações pulmonares (PNEUMONIAS), fique atento.

 


Pneumonia decorrente de infecção causada por Vírus

Sintomas

  • Tosse mais irritativa
  • Pouca secreção (Clara, esbranquiçada e Fluida)
  • O componente mais importante é a FALTA DE AR

 

Tratamento

Deve ser com corticosteroides como droga anti-inflamatória, não usa antibiótico obrigatoriamente.

 


Pneumonia decorrente de infecção bacteriana associada ao H1N1

Sintomas

  • Produção de escarro amarelado
  • Dor torácica
  • Hemograma (exame de sangue) alterado
  • Ausculta característica

 

Tratamento

Deve ser com antibiótico.

Importante: quem dá o diagnóstico diferencial entre pneumonia bacteriana ou viral é o médico. Nem sempre os quadros clínicos são suficientes para esta diferenciação, e eles podem se sobrepor.


 

Orientações quanto ao uso de ANTIBIÓTICOS:

  • Tomar o tratamento completo prescrito pelo seu médico.
  • Não suspender quando houver melhora do quadro clínico.
  • O risco de não tomar o tratamento completo é criar resistência bacteriana.

 


Procure sempre seu médico!