É comum surgirem dúvidas quando aparecem sintomas relacionados às fezes um pouco mais amolecidas. Nesta situação, como saber se é considerada diarreia ou disenteria?  

 

Tanto na diarreia como na disenteria ocorre uma perda de água e eletrólitos, que resulta no aumento do número de evacuações. O que diferencia uma da outra é, em especial, o aparecimento de sangue nas fezes.  

 

Diarreia¹ 

  • Aumento da frequência ou diminuição da consistência fecal (mais de 3 evacuações em 24 horas).  
  • Aguda: 14 dias  
  • Crônica: mais de 3-4 semanas 

 

Disenteria¹ 

  • Diarreia associada a dor, com muco, sangue ou leucócitos nas fezes. 

 

A diarreia aguda de qualquer etiologia e em qualquer idade é, na grande maioria das vezes, um processo autolimitado². As complicações e causas de morte mais importantes são a desidratação e a desnutrição². Os casos graves de diarreia necessitam de tratamento de emergência². A absorção de sais (eletrólitos) e glicose se mantém durante a diarreia². A manutenção da alimentação na diarreia aguda é benéfica pois impede a deterioração do estado nutricional e permite a regeneração do epitélio intestinal². A maior oferta de alimentos após a diarreia é importante na recuperação nutricional². 

 

Fontes: 
1 – Infecções intestinais. FMRP – USP. Disponível em https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4496276/mod_folder/content/0/Infec%C3%A7%C3%B5es%20intestinais.pdf?forcedownload=1Último acesso no dia 31 de março de 2019. 
2 MANUAL DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS. Disponível em http://www.dive.sc.gov.br/conteudos/imunizacao/publicacoes/Manual%20de%20Diagnostico%20e%20Tratamento%20das%20DDA.pdf. Último acesso no dia 31 de março de 2019.