O colesterol é um tipo de gordura (lipídio) produzido pelo organismo que desempenha funções essenciais, como a produção de hormônio e vitamina D (1). No entanto, o excesso dele é prejudicial à saúde, e pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares (1).  

No Brasil, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a causa mais frequente (10% no total) de óbito na população adulta e representa 10% das internações no Sistema Único de Saúde (SUS) (2). Os dados mais recentes do Ministério da Saúde, de 2016, apontam que o SUS registrou 188,2 mil internações para o tratamento de AVC isquêmico e hemorrágico, além de 40 mil óbitos (2).  

Estudos indicam que um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares (DVC) é a hipercolesterolemia, ou seja, índices elevados de colesterol total (3). Esses levantamentos mostram que a deposição de gordura nas paredes das artérias já começa na infância e ao longo prazo, podem causar alterações no metabolismo lipídico, persistindo até a vida adulta e ocasionando as DVC’s (3).  

Os índices de colesterol alto intensificam as chances de desenvolvimento dessas doenças, que elas são potencializadas pela obesidade, tabagismo, hipertensão arterial, hábitos alimentares, histórico familiar e sedentarismo (3).  

O colesterol circula no sangue ligado a uma proteína, e esse conjunto (colesterol+proteína) chama-se “lipoproteína”. Estas são classificadas em altas, médicas e baixas – em função da proporção de proteína e gordura em cada uma delas. São elas (4): 

  • Lipoproteínas de baixa densidade (LDL) – conhecidas como “mau” colesterol, são elas que são depositadas nas paredes das artérias. Quanto maior o nível no sangue, maior o risco de doença cardiovascular; 
  • Lipoproteínas de alta densidade (HDL) – conhecidas como colesterol “bom”, elas limpam as artérias, e quanto mais alta forem, menores os riscos de desenvolvimento de doenças cardiovasculares; 
  • Lipoproteínas de muita baixa densidade (VLDL) – semelhantes às LDL, contém mais gorduras e menos proteínas; 
  • Triglicérides – outro tipo de gordura ligada à VLDL. Uma alimentação rica em açúcares, calorias e álcool eleva seu índice e aumenta o risco de doenças cardiovasculares. 

Mas, afinal, o que é colesterol e qual é o papel dele? Ele tem duas origens: uma parte é produzida pelo próprio organismo (principalmente o fígado), e a outra é obtida na alimentação (4). Os alimentos que contém maior quantidade de gordura são os produtos de origem animal como carnes, leite e ovos (4).  

O colesterol produzido é utilizado em membranas celulares, vitamina D e até mesmo ácidos biliares (4). No entanto, quando a produção é excessiva, ele é depositado nas paredes arteriais, reduzindo a potência dos vasos sanguíneos, diminuindo o fluxo de sangue para os demais órgãos e tecidos (4).  

Alguns fatores que influenciam os níveis de colesterol (4): 

  • Dieta – o consumo excessivo de gordura saturada aumenta os índices. Para isso não acontecer, é essencial controlar a ingestão de produtos de origem animal como carnes gordas, presunto, queijo, manteiga e fastfoods; 
  • Peso corporal – excesso de peso aumenta o colesterol. Para isso, uma dieta balanceada ajuda a reduzir os níveis de colesterol; 
  • Atividades físicas – a prática regular de exercícios regula as taxas de colesterol. Para isso, recomenda-se praticar 30 minutos todos os dias;  
  • Genética – os genes determinam a quantidade de colesterol que cada organismo produz; 
  • Tabagismo – deixar de fumar ajuda a controlar os níveis de colesterol do organismo. 

Para orientar a população sobre bons hábitos alimentares, o Ministério da Saúde elaborou o Guia Alimentar para a População Brasileira (5). Consulte aqui.  

 
Fontes: 
1 – Blog da Saúde – Governo do Brasil. Colesterol é uma das principais causas de problemas cardíacos no país. 2012. Disponível em http://www.brasil.gov.br/noticias/saude/2012/08/dia-nacional-do-controle-do-colesterol-e-comemorado-nesta-quarta-8  
2 – Blog da Saúde – Governo do Brasil. Brasil se compromete com o combate ao AVC e altos níveis de colesterol. 2018. Disponível em http://www.brasil.gov.br/noticias/saude/2018/08/brasil-se-compromete-com-o-combate-ao-avc-e-altos-niveis-de-colesterol 
3- BERGMANN, Mauren Lúcia de Araújo; BERGMANN, Gabriel Gustavo; HALPERN, Ricardo; RECH, Ricardo Rodrigo; CONSTANZI, Cristine Boom; ALLI, Lidiane Requia. Colesterol Total e Fatores Asseociados: Estudo de Base Escolar no Sul do Brasil. 2011. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/abc/v97n1/aop05911 
4- Fundação Portuguesa de Cardiologia. CARRAGETA, Manuel. Clube Rei Coração – Tudo o que deve saber sobre colesterol. Disponível em http://www.fpcardiologia.pt/wp-content/uploads/2013/08/Brochura-CRC-Colesterol-N%C2%BA-10-Final.pdf   
5- Ministério da Saúde – Guia Alimentar Para a População Brasileira. Disponível em http://189.28.128.100/nutricao/docs/geral/guia_alimentar_conteudo.pdf