Algumas características típicas do clima durante o outono e o inverno, como a baixa umidade do ar, por exemplo, favorece o aumento de alergias respiratórias e de pele, principalmente em crianças, idosos e portadores de doenças crônicas¹. Por isso, foi instituído no dia 7 de maio o Dia Nacional de Prevenção da Alergia, a fim de conscientizar a população sobre os riscos de contrair doenças neste período².

Alergia é uma reação de hipersensibilidade do sistema imunológico após o contato com algum alérgeno. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), centenas de milhões de pessoas de todas as idades sofrem dessas alergias respiratórias em todos os países. A rinite alérgica pode ser considerada a doença de maior prevalência entre as doenças respiratórias crônicas e é um problema global de saúde pública, acometendo cerca de 20 a 25% da população em geral². No Brasil, as alergias afetam cerca de 30% da população, segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), sendo 20% crianças³.

As alergias podem se manifestar de diversas maneiras, como4:

– Asma;
– Rinite alérgica;
– Sinusite alérgica;
– Dermatite atópica ou eczema atópico;
– Alergia a medicamentos;
– Alergias alimentares;
– Alergia a picadas de insetos.

 

Causas

Os principais alérgenos causadores das reações alérgicas são os ácaros, fungos, insetos, pelos de animais, alimentos e medicamentos.

 

Sintomas

Sintomas de alergia, dependendo do fator desencadeador, podem afetar as vias aéreas, passagens e seios nasais, pele e sistema digestivo. Os sintomas variam de acordo com a alergia do indivíduo e podem ser divididos em leve, moderado e grave e, neste último caso, provocar uma reação anafilática, provocando uma queda de pressão muito forte, podendo levar o indivíduo a perder a consciência ou até mesmo a morte.

 

Diagnóstico

Histórico clínico e exame físico do paciente permite chegar ao diagnóstico de alergia. Caso seja necessário, o especialista poderá solicitar exames complementares como os testes cutâneos, exames laboratoriais, diagnóstico por imagem, testes de provocação e dietas de eliminação.

 

Prevenção²

Para prevenir as reações alérgicas é preciso evitar ao máximo os agentes alérgenos, como ácaros, poeira, pelos, etc. Por isso, é aconselhado retirar tapetes e cortinas da casa, manter os ambientes limpos e arejados, evitar o fumo e manter uma vida saudável.

Outra dica importante é tomar sol, pois a vitamina D está relacionada ao cuidado de uma série de doenças do aparelho imunológico.

 

Fontes:

1- Previna-se das doenças típicas do outono – Portal de Notícias da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Disponível em http://www.portaldenoticias.saude.sp.gov.br/previna-se-das-doencas-tipicas-do-outono/. Último acesso em 05 de maio de 2020.
2- Saiba como prevenir as alergias – Ministério da Saúde. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53873-saiba-como-prevenir-as-alergias. Último acesso em 05 de maio de 2020.
3- Campanha nacional de prevenção das doenças alérgicas – Portal da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. Disponível em: http://asbai.org.br/campanha-nacional-de-prevencao-das-doencas-alergicas/. Último acesso em 05 de maio de 2020.
4- Alergia: o que é, tipos, sintomas, causas e tratamentos – Portal Minha vida. Disponível em: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/alergia. Último acesso em 05 de maio de 2020.