Pneumonia é uma infecção que se instala nos pulmões, órgãos duplos localizados um de cada lado da caixa torácica¹. Pode agredir a região dos alvéolos pulmonares onde desembocam as ramificações terminais dos brônquios e, às vezes, os interstícios (espaço entre um alvéolo e outro)¹. 


Basicamente, pneumonias são provocadas pela penetração de um agente infeccioso ou irritante (bactérias, vírus, fungos e por reações alérgicas) no espaço alveolar, onde ocorre a troca gasosa. Esse local deve estar sempre muito limpo, livre de substâncias que possam impedir o contato do ar com o sangue¹. Diferentes do vírus da gripe, que são altamente infectantes, os agentes infecciosos da pneumonia não costumam ser transmitidos facilmente¹. 

 

A pneumonia constitui a principal causa de morte no mundo, com significativo impacto nas taxas de morbidade². No Brasil, como em outros países, houve uma redução significativa das taxas de mortalidade por infecções do trato respiratório, apesar de inferior nas últimas décadas. Dentre as pneumonias, a adquirida na comunidade, chamada de PAC, persiste como a de maior impacto e é a terceira causa de mortalidade no nosso meio. A melhora da situação socioeconômica, o maior acesso a cuidados de saúde, a disponibilidade nacional de antibióticos e as políticas de vacinação explicam em parte a redução das taxas de mortalidade².  

 

Sintomas¹ 

  • Febre alta 
  • Tosse 
  • Dor no tórax
  • Alterações da pressão arterial 
  • Confusão mental 
  • Mal-estar generalizado
  • Falta de ar 
  • Secreção de muco purulento de cor amarelada ou esverdeada 
  • Toxemia (danos provocados pelas toxinas carregadas pelo sangue)
  • Prostração (fraqueza) 

 

Fatores de risco¹ 

  • Fumo: provoca reação inflamatória que facilita a penetração de agentes infecciosos 
  • Álcool: interfere no sistema imunológico e na capacidade de defesa do aparelho respiratório 
  • Ar-condicionado: deixa o ar muito seco, facilitando a infecção por vírus e bactérias 
  • Resfriados malcuidados 
  • Mudanças bruscas de temperatura 

 

Diagnóstico¹ 

Exame clínico, auscultação dos pulmões e radiografias de tórax são recursos essenciais para o diagnóstico das pneumonias.

Tratamento² 

O tratamento da pneumonia depende de sua causa (viral, bacteriana ou outra), de sua gravidade e de características do paciente, como comorbidades, antecedentes, etc.  

Recomendações¹ 

  • Não fume e não beba exageradamente 
  • Mantenha o ar-condicionado em condições adequadas 
  • Não se exponha a mudanças bruscas de temperatura 
  • Procure atendimento médico para diagnóstico precoce de pneumonia, para diminuir a probabilidade de complicações 

 

Fontes: 
1 – Dicas em saúde: Pneumonia – Ministério da Saúde. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/233_pneumonia.html. Último acesso no dia 28 de agosto de 2019.   
2 – Recomendações para o manejo da pneumonia adquirida na comunidade 2018 – Scielo. Disponível em http://jornaldepneumologia.com.br/imagebank/pdf/2018_44_5_16_portugues.pdfÚltimo acesso no dia 28 de agosto de 2019.