Doenças respiratórias são cada vez mais comuns por conta de fatores como a poeira, infecções, alergias e até mesmo fatores genéticos (1). Hoje, as chamadas “doenças respiratórias crônicas” (ou DRC), englobam asma, rinite alérgica e doença pulmonar obstrutiva, representando um dos maiores problemas de saúde mundialmente (2).  

A asma atinge cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo, e o Brasil está em 8º lugar no ranking, sendo mais comum em crianças (2) 

Os dados sobre Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas (DPOC, que representa a bronquite crônica e enfisema pulmonar) mostram cerca de 7,5 milhões de pessoas com a doença no país, e que a prevalência aumenta com o avanço da idade (2). 

De acordo com o DATASUS, o número de internações em hospitais por conta de doenças respiratórias é de cerca de 120.000 por ano, somente no Brasil (3). 

Muitas pessoas confundem asma e bronquite, e apesar de ambas acometerem o pulmão, existem algumas diferenças entre elas. Confira: 

Asma 

É causada pela inflamação das vias aéreas e os sintomas são (4): 

  • Falta de ar ou dificuldade para respirar; 
  • Sensação de aperto no peito ou peito pesado; 
  • Chio ou chiado no peito; 
  • Tosse. 

Os sintomas variam ao longo do dia, podendo aparecer na parte da manhã, tarde ou noite, ou até mesmo durante atividades físicas (4).  

A causa ainda não é totalmente conhecida, mas acredita-se que seja um conjunto de fatores que variam desde genéticos até ambientais (4). Existem alguns agentes que podem desencadear a crise asmática (4): 

  • Ácaros; 
  • Fungos; 
  • Pólens; 
  • Animais de estimação; 
  • Fezes de barata; 
  • Infecções virais; 
  • Fumaça de cigarro; 
  • Poluição ambiental; 
  • Exposição ao ar frio. 

A doença não tem cura, mas existem tratamentos que ajudam seu controle: medicamentos que podem evitar crises ou fármacos que aliviam os sintomas da crise (4). Cada paciente possui um histórico diferente, e por conta disso, é necessário acompanhamento médico para cada um (4). 

Bronquite 

A bronquite é uma DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), doença que dificulta a passagem do ar pelos pulmões, causando perda progressiva da função pulmonar (5). Os sintomas mais comuns são (5): 

  • Falta de ar quando existe esforço; 
  • Tosse; 
  • Expectoração; 
  • Cansaço. 

Normalmente, acomete fumantes, e por conta disso, a melhor prevenção é evitar o tabagismo – que representa 80% dos casos de DPOC (5).  

Alguns fatores podem estimular o aparecimento de seus sintomas (5): 

  • Exposição à poluição; 
  • Exposição ao tabaco; 
  • Descompensação de outras doenças (como cardiovasculares e tromboecólicas). 

O tratamento tem como objetivo de controlar os sintomas, reduzir o impacto no cotidiano, prevenir a piora e retardar sua progressão (5). De toda forma, somente o médico poderá indicar o melhor tratamento para cada caso.  

 
  1. Ministério da Saúde – Blog da Saúde. Asma, Bronquite Crônica e Enfisema. 2015. Disponível em http://www.blog.saude.gov.br/index.php/35049-asma-bronquite-cronica-e-enfisema  
  2. Ministério da Saúde – Caderno de Atenção Básica – Doenças Respiratórias Crônicas. 2010. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doencas_respiratorias_cronicas.pdf   
  3. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Impacto de asma no Brasil: análise longitudinal de dados extraídos de um banco de dados governamental brasileiro. 2017. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v43n3/pt_1806-3713-jbpneu-43-03-00163.pdf
  4. SBPT – Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Asma – Perguntas e respostas. Disponível em https://sbpt.org.br/portal/publico-geral/doencas/asma-perguntas-e-respostas/  
  5. SBPT – Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC): 21 de novembro. 2018. Disponível em https://sbpt.org.br/portal/t/bronquite-cronica/