Uma das doenças neurológicas mais comuns em adultos jovens, a esclerose múltipla é uma doença inflamatória crônica que afeta o sistema nervoso central, que contribui para uma deficiência neurológica e, com o passar dos anos, para a invalidez. O problema ocorre quando o organismo ataca de forma anômala uma fração da mielina, substância que compõe o sistema nervoso central, causando a desmielinização focal.

Placas inflamatórias são formadas e destroem a camada que recobre e isola as fibras nervosas (camada de mielina) do Sistema Nervoso Central, podendo se manifestar por diversos sintomas, como fadiga intensa, distúrbios de linguagem, alteração visual, depressão, fraqueza ou dormência muscular, alteração do equilíbrio da coordenação motora, dores articulares e disfunção intestinal e da bexiga.

A esclerose múltipla não tem cura e nem tratamento preventivo. Apenas medicamentos são utilizados para diminuir o impacto dos surtos. Porém, um estudo clínico recente mostrou que a intervenção precoce com o medicamento é capaz de melhorar a função cognitiva de pacientes com até dois anos de diagnóstico da doença.

Fique atento a qualquer sinal da doença e procure um médico especializado.

 

Fontes:http://abem.org.br/dia-nacional-de-conscientizacao-da-esclerose-multipla/
http://revistavivasaude.uol.com.br/clinica-geral/dia-nacional-de-conscientizacao-da-esclerose-multipla/6438/#