Os medicamentos genéricos, por serem fabricados com o(s) mesmo(s) princípio(s) ativo(s), produzem o mesmo efeito terapêutico no organismo que o medicamento de referência/marca. Como eles não possuem um nome comercial, são identificados em sua embalagem por meio do princípio ativo¹. O genérico também é administrado pela mesma via e possui a mesma posologia e, por ter a mesma eficácia e segurança, pode ser receitado em substituição ao medicamento de referência².

É importante reforçar que a substituição do medicamento prescrito pelo seu genérico correspondente somente pode ser realizada pelo médico ou pelo farmacêutico responsável¹. Outro ponto importante é que o preço deste tipo de medicamento é menor (no mínimo 35% mais barato que o de referência), uma vez que não são necessários realizar os investimentos em pesquisas, como o que acontece em um medicamento inovador. Os genéricos também entram com a vantagem de regularem os preços no mercado, pois como são considerados concorrentes, estimulam a redução do preço do medicamento de referência. Além disso, por serem mais baratos, permitem que a população como um todo tenha acesso aos remédios de qualidade, seguros e eficazes².

A qualidade e segurança do medicamento e sua equivalência terapêutica são comprovados por meio de testes de equivalência farmacêutica (in vitro) e bioequivalência (in vivo). No Brasil, esses estudos devem ser apresentados à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)².

Além do medicamento genérico, existe a opção do remédio similar em relação ao de referência. Entenda a diferença entre eles³:

Referência: Medicamentos inovadores produzidos pelo laboratório que detém sua patente. Tem marca comercial conhecida. Quando o prazo de patente acaba, a concorrência é aberta aos similares e outros laboratórios podem fabricá-lo.

Similar: Os nomes e as marcas são diferentes do original, mas têm o mesmo princípio ativo, as mesmas indicações e modos de uso. Geralmente são mais baratos que o de referência.

Genérico: Não tem nome comercial, mas é produzido com o mesmo princípio ativo do medicamento de referência e administrado da mesma forma.

Os medicamentos genéricos podem ser identificados pela tarja amarela na qual se lê “Medicamento Genérico”. Além disso, no Brasil, deve constar na embalagem a frase “Medicamento Genérico Lei nº 9.787, de 1999”².

 

Fontes:
1- Medicamentos Genéricos – Biblioteca Virtual de Saúde. Ministério da Saúde Brasil. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2092-medicamentos-genericos. Último acesso em 28 de junho de 2020.
2- Medicamentos Genéricos – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/genericos. Último acesso em 28 de junho de 2020.
3- Entenda a diferença entre medicamentos Genéricos, Similares e de Referência – Blog da Saúde. Ministério da Saúde. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/programasecampanhas/33570-entenda-a-diferenca-entre-medicamentos-genericos-similares-e-de-referencia. Último acesso em 28 de junho de 2020.