Por: Eurofarma Laboratórios

As doenças das vias aéreas superiores fazem parte do cotidiano por conta do grande número de agentes presentes no ar (1). Uma das doenças mais comuns desse tipo é a faringite (2), que pode ser uma inflamação ou infecção na faringe (garganta), mais comum em épocas com clima mais ameno e no início do frio (2).  

Ela abrange quadros como o do resfriado comum e outros como rinite viral aguda (3). Além disso, é a doença infecciosa de vias aéreas respiratórias mais comum durante a infância (3).  

Causas 

Normalmente é causada por vírus, e entre os mais frequentes estão o rinovírus, coronavírus, vírus sincical respiratório (VSR), parainfluenza, influenza, coxsackie, adenovírus e outros mais raros (3).  

A transmissão é feita por gotículas produzidas pela tosse e espirros, ou pelo contato de mãos contaminadas com a via aérea de pessoas sadias (3). O contágio, por sua vez, é alto em locais fechados como casas, escolas e outros ambientes coletivos (3).  

O período de incubação normalmente é de dois a cinco dias, e o de contágio é desde algumas horas antes, até dois dias após o início dos sintomas (3).  

 

Sintomas 

Normalmente começa com dor de garganta, coriza, obstrução nasal, espirros, tosse seca e febre de intensidade variável, mas alguns pacientes podem não apresentar febre (3). Alguns vírus também podem causar diarreia (3).  

Podem existir, ainda, algumas complicações bacterianas durante infecções respiratórias virais (3). Algumas delas (3): 

  • Persistência da febre além de 72 horas; 
  • Recorrência de hipertemia após esse período, ou prostração mais acentuada; 
  • Dificuldade de respiração; 
  • Possibilidade de desenvolver otite média aguda e sinusite. 

 

Diagnóstico 

A confirmação da faringite pode ser feita por exame laboratorial, que detecta a presença da bactéria na amostra recolhida da secreção local (4).  

 

Prevenção 

Existem algumas formas de prevenção. Algumas dicas (3): 

  • Lavar as mãos com frequência; 
  • Evitar contato com pessoas infectadas; 
  • Vacina para os vírus. 

 

Tratamento 

O tratamento é feio de várias formas (3): 

  • Repouso no período febril; 
  • Hidratação e dieta conforme aceitação; 
  • Higiene e obstrução nasal; 
  • Umidificação do ambiente; 
  • Antitérmicos, analgésicos, descongestionante nasal, antitussígenos, anti-histamínicos e antimicrobianos (conforme prescrição médica). 

O melhor tipo de tratamento será analisado por um médico, que indicará as opções conforme cada caso. 

 

 

Fontes: 
1 – BAGATIN, Ericson; COSTA, Everardo Andrade da. Doenças das vias aéreas superiores. 2006. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v32s1/a04v32s1.pdf  
2- Otorrinos Curitiba – Qual a diferença entre faringite, laringite e amigdalite? 2017. Disponível em http://otorrinoscuritiba.com.br/saude/qual-a-diferenca-entre-faringite-laringite-e-amigdalite.html  
3- PITRZ, Paulo M.C.; PITREZ, José L.B. Infecções agudas das vias aéreas superiores – diagnóstico e tratamento ambulatorial. 2003. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/%0D/jped/v79s1/v79s1a09.pdf  
4- Blog da Saúde – Ministério da Saúde. Especial Otorrino: Faringite e Laringite. 2015. Disponível em http://www.blog.saude.gov.br/35389-especial-otorrino-faringite-e-laringite.html