Fevereiro Laranja – Leucemia 

O mês de fevereiro é o mês de conscientização contra a leucemia¹. A campanha, denominada de fevereiro Laranjaalerta para este tipo de câncer que afeta os glóbulos brancos¹ 

 

A leucemia é uma doença maligna, geralmente, de origem desconhecida². Tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais². 

 

A medula óssea é o local onde são fabricadas as células sanguíneas e ocupa a cavidade dos ossos, sendo popularmente conhecida por tutano². Nela são encontradas as células que dão origem aos glóbulos brancos (leucócitos), aos glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) e às plaquetas². 

 

Na leucemia, uma célula sanguínea que ainda não atingiu a maturidade sofre uma mutação genética que a transforma em uma célula cancerosa². Essa célula anormal não funciona de forma adequada, multiplica-se mais rápido e morre menos do que as células normais². Dessa forma, as células sanguíneas saudáveis da medula óssea são substituídas por células anormais cancerosas². 

 

A leucemia pode assumir a forma aguda ou crônica¹. Na forma aguda, as células se multiplicam rapidamente provocando a morte das células saudáveis na medula óssea e sangue¹. Com isto, o paciente apresenta sintomas como intensa palidez, febre, dor óssea e sangramento cutâneo (hematomas no corpo). Se não tratado, virá a óbito em poucas semanas¹. 

 

Já na forma crônica, as células se multiplicam lentamente e os sintomas podem demorar meses para aparecerem¹. Esta forma também requer diagnóstico e tratamento específico, mas os sintomas são menos intensos¹. 

 

As leucemias também são agrupadas segundos os tipo de glóbulos brancos que elas afetam: linfoides e mieloides².  

 

Combinando as duas classificações, existem quatro tipos mais comuns de leucemia²:
 

  • Leucemia linfoide crônica: afeta células linfoides e se desenvolve de forma lenta. A maioria das pessoas diagnosticadas com esse tipo da doença tem mais de 55 anos. Raramente afeta crianças; 
  • Leucemia mieloide crônica: afeta células mieloides e se desenvolve vagarosamente, a princípio. Acomete principalmente adultos; 
  • Leucemia linfoide aguda: afeta células linfoides e agrava-se de maneira rápida. É o tipo mais comum em crianças pequenas, mas também ocorre em adultos;
  • Leucemia mieloide aguda: afeta as células mieloides e avança rapidamente. Ocorre tanto em adultos como em crianças, mas a incidência aumenta com o aumento da idade. 

 

Os tratamentos indicados para a leucemia dependem da extensão da doença¹. A pessoa pode fazer quimioterapia, imunoterapia, radioterapia, transplante de medula óssea ou a associação de diferentes tratamentos¹. 

 

Na maior parte, os pacientes que desenvolvem leucemia não apresentam nenhum fator de risco conhecido que possa ser modificado². Por isso, muitos casos de leucemia não podem ser evitados². 

 

A detecção precoce da Leucemia é uma estratégia para encontrar um tumor em fase inicial e possibilitar uma maior chance de tratamento². A detecção pode ser feita por meio da investigação com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença (diagnóstico precoce), ou com o uso de exames periódicos em pessoas sem sinais ou sintomas (rastreamento), mas pertencentes a grupos com maior chance de ter a doença². 

 

O diagnóstico precoce desse tipo de câncer possibilita melhores resultados em seu tratamento e deve ser buscado com a investigação de sinais e sintomas como²:
 

  • Palidez, cansaço e febre. 
  • Aumento de gânglios. 
  • Infecções persistentes ou recorrentes. 
  • Hematomas, petéquias e sangramentos inexplicados. 
  • Aumento do baço e do fígado. 


Muitas vezes esses sintomas não são causados por câncer, mas é importante que sejam investigados por um médico². 

 

Fontes:  
1 – Fevereiro Laranja alerta sobre leucemia, câncer que afeta o sangue – Secretaria de Estado da Saúde – Governo de Goiás. Disponível em http://www.saude.go.gov.br/fevereiro-laranja-alerta-sobre-leucemia-cancer-que-afeta-o-sangue/. Último acesso em 27 de janeiro de 2020. 
2 – Leucemia – Instituto Nacional do Câncer. Disponível em https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/leucemia. Último acesso em 27 de janeiro de 2020.