A principal causa de morte ao redor do mundo são as doenças cardiovasculares. Hipertensão, diabetes, obesidade, tabagismo, sedentarismo são os maiores fatores de risco para o surgimento dessas doenças. O colesterol alto também não fica fora dessa lista.

Para auxiliar na prevenção e no tratamento de pacientes de risco, a Sociedade Brasileira de Cardiologia alterou os valores de referência de colesterol e triglicérides, remodelando os limites considerados ideais para pacientes em perfis de risco – aqueles que já sofreram ou sofrem de problemas cardiovasculares. Com as novas taxas, o valor ideal, que antes era de 70 mg/dL – miligramas por decilitro de sangue, é de 50 miligramas para pessoas com risco cardíaco muito alto (pacientes que já sofreram infarto, derrame ou amputações devido à doença arterial). Pacientes diabéticos também estão no grupo de alto risco e devem ter o LDL abaixo de 70 mg/dL.

Já para aqueles que não possuem fatores de risco, o índice é de até 130 mg/dL. O valor do colesterol total também foi alterado, passando de 200 mg/dL para 190 mg/dl. As reduções das taxas de colesterol são benéficas e ajudam a reduzir o risco de infarto e derrame.

Vale ressaltar que a melhor arma contra o colesterol é adquirir um estilo de vida saudável, com uma dieta equilibrada e prática de exercícios. Fique atento às novas taxas!

Fontes:
http://www.sbh.org.br/geral/releases.asp?id=17
http://veja.abril.com.br/saude/brasil-estabelece-taxas-mais-rigidas-para-controle-do-colesterol/