Gastrite é caracterizada pela presença de processo inflamatório no estômago (1). O acometimento da doença não é muito comum na infância e sua prevalência aumenta com a idade: após os 60 anos, varia de 50% a 100% (1).  

Ela possui uma grande variabilidade de apresentação, e por conta disso existem várias classificações para os diferentes tipos de gastrite (1).  

 

Formas comuns (1): 

  • Gastrite por Helicobacter pyloriForma aguda e forma crônica – Neste caso, ocorre processo inflamatório no estômago, e há edema e congestão, com células que podem apresentar atipias (anomalias); 
  • Gastrite atrófica – Autoimune e Ambiental: caracterizada pela atrofia mucosa gástrica como redução de sua espessura e diminuição do tecido da glândula; 
  • Gastropatia por AINEs: causada por anti-inflamatórios não esteroides, ela pode levar à hemorragia da mucosa, erosões e ulcerações gástricas; 
  • Gastropatia química por outros agentes: outra substância que pode causar gastropatia é a bile. Existem registros de que os sais biliares podem provocar inflamações, hiperplasia foveolar (aumento das células da camada interna do estômago), edema, congestão vascular e aumento de fibras musculares. 

 

 

Formas raras (1): 

  • Gastrite infecciosa: gastrites infecciosas não causadas pelo H. pylori são muito raras. Normalmente acontecem com metaplasia intestinal significativa (lesão das células gástricas), pós-gastrectomias parciais e imunossupressão, principalmente em pessoas com AIDS; 
  • Gastrite eosinofílica: é um intenso infiltrado de eosinófilos (células do sistema imune responsáveis pela ação contra parasitas multicelulares e certas infecções) que acarretam a parede gástrica e normalmente afeta outros órgãos do tubo digestivo; 
  • Gastrite linfocítica: está associada à doença celíaca, doença de Ménétrier, colite colágena e uso de ticlodipina; 
  • Gastrite granulomatosa – Sarcoidose e Doença e de Crohnacomete principalmente o antro (parte inferior do estômago, perto do intestino delgado) e pode causar estenose (estreitamento) do órgão; 
  • Gastropatia hiperplásica: ocorre aumento significativo do número de células na camada mucosa do estômago, o que pode ocasionar um aumento na largura e altura das pregas gástricas.  

 

Alguns fatores que podem provocar a doença (2): 

  • Infecção pela bactéria Helicobacter pylori; 
  • Uso de medicamentos que agridem o estômago (principalmente anti-inflamatórios, antibióticos e Ácido acetilsalicílico; 
  • Consumo de bebidas alcóolicas e/ou alimentação inadequada; 
  • Gastrite autoimune – quando o sistema imune produz anticorpos que agridem o próprio organismo. 

 

O diagnóstico da doença é feito com a análise de fragmentos da mucosa com biópsia ou com endoscopia (1).  

 

Existem algumas recomendações para quem sofre de doenças no estômago. Algumas dicas (2): 

  • Respeitar os horários das refeições; 
  • Não ficar muito tempo sem se alimentar; 
  • Mastigar bem os alimentos, sem pressa; 
  • Tentar priorizar por pequenas refeições ao longo do dia, e não uma grande e única refeição; 
  • Evitar o tabagismo e ingestão de bebidas alcóolicas; 
  • Evitar alimentos gordurosas e frituras em geral;  
  • Diminuir a ingestão de frutas ácidas como laranja, abacaxi, limão, morango, damasco, pêssego, cereja e kiwi; 
  • Atenuar o uso de temperos como vinagre, pimenta, molho inglês, massa (molho ou extrato) de tomate, molhos industrializados, ketchup, mostarda, caldos concentrados, molho tártaro e picles; 
  • Evitar doces concentrados como goiabada, marmelada, doce de leite, cocada, pé-de-moleque, geleia e compotas; 
  • Diminuir a ingestão de frutas secas e cristalizadas, além de nozes, avelã, coco, amêndoa, castanha de caju e do Pará, amendoim e pistache; 
  • Diminuir a porção de feijão e outras leguminosas; 
  • Evitar o uso de pepino, tomate, couve, couve-flor, brócolis, repolho, pimentão, nabo e rabanete; 
  • Diminuir a ingestão de café, chá preto, mate e chocolate. 

 

Fontes: 
1 – Zeitune, JMR, Monici, LT. Gastrites. Revista Brasileira de Medicina. Disponível em http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?id_materia=582&fase=imprime  
2- UFRJ – Gastro. Orientações Dietéticas para Gastrite e Úlceras. Disponível em http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:YbtPEGjYrUMJ:www.hucff.ufrj.br/download-de-arquivos/category/31-gastroenterologia-downloads%3Fdownload%3D488:gastrite-e-ulceras-orientacoes-dieteticas+&cd=3&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br