Com a declaração de pandemia por conta do coronavírus (Covid-19) realizada no dia 11 de março pela Organização Mundial da Saúde (OMS), diversas medidas estão sendo tomadas pelos governos em todo o mundo para evitar a propagação desta doença. No Brasil, o Governo Federal preparou uma série de ações para combater o alastramento da doença, dentre elas, a liberação de um crédito para os cuidados na saúde e uma determinação de isolamento, de preferência em domicílio, das pessoas que tenham suspeitas da doença.  

 

A lista abaixo traz iniciativas que o próprio Ministério da Saúde inclui entre as mais relevantes no combate à doença¹:  

1 – Recomendação para cancelamento de eventos que reúnam um grande número de pessoas (jogos de futebol, shows, entre outros) e cruzeiros turísticos;  

2 – Suspensão das aulas e, se possível, a realização de Home Office – principalmente em locais onde já acontece a chamada transmissão comunitária do vírus, como nas cidades de São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ);  

3 – Reforço no programa Mais Médicos com a publicação de um edital para contratar mais de cinco mil médicos e reforçar as equipes de saúde;    

4 – Capacitação dos laboratórios para testes. Desde o começo da semana passada, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Ministério da Saúde estão treinando técnicos de laboratórios públicos dos Estados brasileiros para que estejam aptos a testar pacientes com suspeitas de infecção pelo novo coronavírus.  

5 – Mais leitos de UTI e horário estendido nos postos de saúde.  

  

Evolução  

coronavírus (CoV) faz parte de uma grande família viral, conhecido desde meados dos anos 1960 e que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderada, semelhantes a um resfriado comum. Porém, alguns coronavírus podem causar síndromes respiratórias graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave que ficou conhecida pela sigla SARS do inglês ‘Severe Acute Respiratory Syndrome. Os primeiros casos de SARS associadas ao coronavírus (SARS-CoV) foram relatados na China em 2002².    

Em relação a esse novo coronavírusconhecido comCovid-19, o primeiro caso foi notificado para a OMS no dia 31 de dezembro de 2019 provindo da cidade de Wuhan, na China. Desde então, todos os continentes já identificaram casos da doença. 

   

Transmissão³ 

A principal forma de disseminação é de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por contato, que está ocorrendo de forma continuada. Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de um metro) de alguém contaminado está em risco de ser exposta à infecção.  

Além disso, a transmissão dos coronavírus também costuma ocorrer pelo ar ou por contato com secreções contaminadas, como:   

  • gotículas de saliva; 
  • espirro; 
  • tosse; 
  • catarro; 
  • contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; 
  • contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.  

O período médio de incubação por coronavírus é de cinco dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção. No entanto, dados preliminares sugerem que a transmissão pode ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas. 

  

Sintomas  

O Covid-19 causa infecções respiratórias brandas a moderadas de curta duração. Os sintomas podem envolver coriza, tosse, dor de garganta e febre. Esses vírus, algumas vezes, podem causar infecção das vias respiratórias inferiores, como pneumonia. Esse quadro é mais comum em pessoas com doenças cardiopulmonares, com sistema imunológico comprometido ou em idosos. 

 

Diagnóstico³  

O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de materiais respiratórios. É necessária a coleta de duas amostras na suspeita da contaminação, em que uma é enviada ao Centro Nacional de Influenza (NIC) e outra amostra é enviada para análise de metagenômica.  

Orienta-se a coleta de aspirado de nasofaringe (ANF) ou swabs combinado (nasal/oral) ou também amostra de secreção respiratória inferior (escarro ou lavado traqueal ou lavado bronca alveolar). 

  

Tratamento⁵  

Até o momento, não há vacina disponível contra o Covid-19. Existe tratamento disponível, que evita o agravamento da doença e reduz o desconforto. No entanto, ainda não há medicamentos específicos para eliminá-lo.  

A grande maioria dos casos são autolimitados, ou seja, são curados espontaneamente. Pessoas com casos graves, como tosse, falta de ar e febre devem procurar ajuda médica. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar. 

  

Prevenção³  

O Ministério da Saúde orienta alguns cuidados básicos para reduzir o risco de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus  

  • Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel;  
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;  
  • Evitar aglomerações, principalmente se estiver doente; 
  • Mantenha os ambientes bem ventilados; 
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas; 
  • Use máscara se estiver tossindo ou espirrando para evitar transmitir vírus para outras pessoas. Se estiver saudável, só use a máscara se estiver cuidando de alguém com suspeita de infecção por coronavírus⁵  

Veja nosso vídeo que ensina como lavar as mãos corretamente, o que pode reduzir em até 40% a contaminação por vírus e bactérias:   

Fontes:
1 – SHALDERS, André. Quais são as principais medidas do governo brasileiro contra o coronavírus até agora? BBC News Brasil, Brasília, 14 de março de 2020. Disponível em https://www.bbc.com/portuguese/brasil-51889723. Último acesso em 19 de março de 2020.
2 – Informe Técnico – Novo Coronavírus – Ministério da Saúde. Disponível em http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/junho/10/Informe-Tecnico-para-Profissionais-da-Saude-sobre-MERS-CoV-09-06-2014.pdf. Último acesso em 19 de março de 2020.
3 – O que é o coronavírus? (covid-19) – Ministério da Saúde. Disponível em https://coronavirus.saude.gov.br/. Último acesso em 19 de março de 2020.
4 – Sobre coronavírus – Secretária de Estado a Saúde de São Paulo. Disponível em http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-respiratoria/coronavirus.html. Último acesso em 19 de março de 2020.
5 – Coronavírus – SUS – Ministério da Saúde. Disponível no app coronavírus-SUS. Último acesso em 19 de março de 2020.