Em 2003, alguns amigos australianos reunidos em um bar perceberam que a única moda dos anos setenta que ainda não havia voltado era o uso de bigodes¹. Para se divertir, decidiram iniciar o mês seguinte completamente barbeados e deixar apenas o bigode crescer¹. No final do mês, fariam uma festa temática em que premiariam o melhor e o pior bigodes¹. Como o mês seguinte era novembro, chamaram a brincadeira de Movember, pela união das palavras mo, gíria australiana para moustache (bigode) e November (novembro)¹.

 

Enquanto se preparavam para repetir a brincadeira no ano seguinte, lembraram das campanhas mundiais sobre o câncer de mama, e decidiram que o Movember poderia servir para alertar os homens sobre o que consideravam uma doença similar: o câncer de próstata¹.

 

A iniciativa se alastrou, sendo adotada por vários países, inclusive o Brasil, como forma de chamar a atenção dos homens para a importância da prevenção do câncer de próstata². Hoje, o movimento já atinge milhões de pessoas em campanhas formais em países como Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Finlândia, Holanda, Espanha, África do Sul e Irlanda². Seu objetivo principal é mudar os hábitos e atitudes do público masculino em relação à saúde e seu corpo, incentivando assim, o diagnóstico precoce de doenças como o câncer de próstata².

 

O que é câncer de próstata?

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma². O câncer de próstata é o tumor que afeta a próstata, glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis³. Embora seja uma doença comum, por medo ou por desconhecimento muitos homens preferem não conversar sobre esse assunto³.

 

As estimativas apontam 68.220 novos casos em 2018³. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens, além de ser a segunda causa de morte por câncer em homens no Brasil, com mais de 14 mil óbitos³.

 

A doença é confirmada após fazer a biópsia, que é indicada ao encontrar alguma alteração no exame de sangue (PSA) ou no toque retal, que somente são prescritos a partir da suspeita de um caso por um médico especialista³.

 

As células são as menores partes do corpo humano. Durante toda a vida, as células se multiplicam, substituindo as mais antigas por novas. Mas, em alguns casos, pode acontecer um crescimento descontrolado de células, formando tumores que podem ser benignos ou malignos (câncer)³. O câncer de próstata, na maioria dos casos, cresce de forma lenta e não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem³. Em outros casos, pode crescer rapidamente, se espalhar para outros órgãos e causar a morte³.

 

Fatores de risco³

Existem alguns fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver câncer de próstata. São eles:

Idade – o risco aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos.

Histórico de câncer na família – homens cujo o pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, fazem parte do grupo de risco.

Sobrepeso e obesidade – estudos recentes mostram maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado.

 

Sinais e sintomas³

Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas e, quando apresenta, os mais comuns são:

 

· Dificuldade de urinar;

· Demora em começar e terminar de urinar;

· Sangue na urina;

· Diminuição do jato de urina;

· Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

 

Esses sinais e sintomas também ocorrem devido a doenças benignas da próstata. Por exemplo:

 

· Hiperplasia benigna da próstata é o aumento benigno da próstata. Afeta mais da metade dos homens com idade superior a 50 anos e ocorre naturalmente com o avançar da idade;

· Prostatite é uma inflamação na próstata, geralmente causada por bactérias.

 

Na presença de sinais e sintomas, recomenda-se a realização de exames para investigar o câncer de próstata.

 

Fontes:
1- Um novembro não tão azul: debatendo rastreamento de câncer de próstata e saúde do homem – Scielo. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/icse/v22n64/1807-5762-icse-22-64-0251.pdf. Último acesso em 21 de outubro de 2019.
2 – Novembro Azul – IPSM – Disponível em http://www.ipsm.mg.gov.br/arquivos/noticias/cartilha_novembro_azul.pdf. Último acesso em 21 de outubro de 2019.
3 – Câncer de próstata: causas, sintomas, tratamentos, diagnóstico e prevenção – Ministério da Saúde. Disponível em http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/cancer-de-prostata. Último acesso em 21 de outubro de 2019.