Para responder diretamente à pergunta acima: Não, não é uma doença feminina. No entanto, por estimativa, cerca de 50% das mulheres e 20% dos homens com idade igual ou superior a 50 anos sofrerão uma fratura osteoporótica ao longo da vida¹Por isso, é maior a incidência entre as mulheres. 

 

A osteoporose é a principal causa de fraturas na população acima de 50 anos². É uma doença silenciosa que afeta especialmente as mulheres na pós-menopausa e idosos e tem elevada taxa de enfraquecimento doentio por conta da diminuição da massa óssea, levando à fragilidade do osso². O principal objetivo do tratamento da osteoporose é a prevenção das fraturas. A identificação dessa população de risco através do diagnóstico e tratamento precoces é de fundamental importância² 

 

A incidência de fratura relacionada à osteoporose aumentou nas últimas três décadas². As fraturas de quadril e vertebrais são frequentes, e intensamente estudadas². A incidência de fratura de quadril varia, sendo maior em mulheres magras, de raça branca, de idade mais avançada, com história pessoal ou familiar de fratura de quadril e residentes em regiões urbanas, em que há atividade física reduzida e comodidades vinculadas ao urbanismo².  

 

Não existem causas para a doença, mas sim fatores de risco que influenciam a manifestação da osteoporose³. Estes podem ser relativos à pessoa (individuais) ou do ambiente que ela vive (ambientais)³. São considerados fatores de risco individuais a história de casos de osteoporose na família, mulher branca, presença de escoliose, indivíduos magros, tipo constitucional pequeno e aparecimento prematuro de cabelos brancos³. 

 

Representam fatores ambientais o álcool e o cigarro (inibidores da multiplicação dos osteoblastos)cafeína (aumenta excreção de cálcio), inatividade, má nutrição, dieta rica em fibras, proteínas e sódio (diminuem a absorção de cálcio)nuliparidade (quem nunca teve um parto), amenorreia (ausência do fluxo menstrual) por exercícios; menopausa precoce e doenças que afetam o sistema endócrino³. 

  

Fontes: 
1 – Osteoporose –  – Disponível em http://conitec.gov.br/images/Protocolos/Osteoporose.pdfÚltimo acesso em 6 de agosto de 2019.  
2 – Diretrizes brasileiras para o diagnóstico e tratamento da osteoporose em mulheres na pós-menopausa – REVISTA BRASILEIRA DE REUMATOLOGIADisponível em http://www.scielo.br/pdf/rbr/v57s2/pt_0482-5004-rbr-57-s2-s452.pdfÚltimo acesso em 6 de agosto de 2019. 
3 – Osteoporose – Scielo. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/aob/v9n2/v9n2a07.pdf. Último acesso em 18 julho de 2019.