O mês de outubro é mundialmente conhecido como o do movimento Outubro Rosa, de conscientização contra o câncer de mama¹. O Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e tem o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença, além de proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade¹O movimento fortalece as recomendações do Ministério da Saúde para o rastreamento e o diagnóstico precoce do câncer de mama e desconstruir o medo da doença¹ 

 

câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil. Depois do câncer de pele não melanoma, responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano²O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos². 

 

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos)². Outros fatores que aumentam o risco da doença são fatores ambientais e comportamentais, fatores da história reprodutiva e hormonal e fatores genéticos e hereditários². 

 

Em grande parte dos casos, o câncer de mama quando detectado em fases iniciais há mais chances de tratamento e cura². Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas². A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres². 

 

Mamografia² 

Para mulheres entre 50 e 69 anos, a indicação do Ministério da Saúde é que a mamografia de rastreamento seja realizada a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas. 

 

O Sistema Único de Saúde (SUS) garante a oferta gratuita de exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias. A recomendação, por parte dos médicos, é que a avaliação seja feita antes dos 35 anos somente em casos específicos. 

 

Sintomas² 

Durante o autoexame, é possível verificar se há indício de alguns dos sintomas, como presença de caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito (mamilo); e pequenos nódulos localizados embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço. 

 

Ao longo de mês, ações do Outubro Rosa estimulam a detecção precoce da doença e conscientizar a população. Participe das atividades promovidas em todo o País. As ações de conscientização visam disseminar o maior volume possível de informações sobre acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuindo para a redução da mortalidade. 

 

Fontes: 
1- INCA – Instituto Nacional de Câncer – Outubro Rosa: É preciso falar disso. 2016. Disponível em https://www.inca.gov.br/publicacoes/cartilhas/cancer-de-mama-e-preciso-falar-disso. Último acesso em 27 de setembro de 2019. 
2- Governo do Brasil – Outubro Rosa alerta para o diagnóstico precoce do câncer de mama. 2017. Disponível em http://www.brasil.gov.br/noticias/saude/2016/09/outubro-rosa-alerta-para-o-diagnostico-precoce-do-cancer-de-mamaÚltimo acesso em 27 de setembro de 2019.