A repercussão sobre o coronavírus gerou um alerta mundial. Portanto, abaixo segue tudo o que você precisa saber sobre a infecção 

 

Evolução 

O coronavírus (CoV) faz parte de uma grande família viral, conhecido desde meados dos anos 1960 e que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais¹. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderada, semelhantes a um resfriado comum¹. Porém, alguns coronavírus podem causar síndromes respiratórias graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave que ficou conhecida pela sigla SARS do inglês ‘Severe Acute Respiratory Syndrome’¹. Os primeiros casos de SARS associadas ao coronavírus (SARS-CoV) foram relatados na China em 2002¹ 

 

O SARS-CoV se disseminou rapidamente para mais de doze países na América do Norte, América do Sul, Europa e Ásia, infectando mais de 8.000 pessoas e causando entorno de 800 mortes, antes da epidemia global de SARS ser controlada em 2003¹. Desde 2004, nenhum caso de SARS tem sido relatado mundialmente¹ 

 

Em abril de 2012, foi isolado outro coronavírus, distinto daquele que causou a SARS-CoV no começo da década passada¹. O novo coronavírus era desconhecido como agente de doença humana até sua identificação, inicialmente na Arábia Saudita e, posteriormente, em outros países do Oriente Médio, na Europa e na África¹. Pela localização dos casos, a doença passou a ser designada como Síndrome Respiratória do Oriente Médio e difundida pelo mundo através da sigla MERS, do inglês ‘Middle East Respiratory Syndrome’, sendo o novo vírus nomeado Coronavírus associado à MERS (MERSCoV)¹. 

 

Atualmente existem casos confirmados do novo coronavírus em 04 (quatro) continentes – Ásia, Europa, África e América – exceto na Oceania¹. Em ordem decrescente, a maior concentração ocorre no continente Asiático, Europa, África e, mais recentemente, na América¹. 

 

Em 31 de dezembro de 2019, o escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS) na China foi informado sobre a ocorrência de casos de pneumonia de etiologia desconhecida². Até 3 de janeiro de 2020, foram notificados 44 pacientes com pneumonia de etiologia desconhecida, todos mantidos em isolamento e tratamento, sendo que 11 deles apresentavam quadro grave² 

 

Em 09 de janeiro, houve a divulgação de a detecção de um novo coronavírus (2019-nCoV) em um paciente hospitalizado com pneumonia em Wuhan, na China². Segundo o European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC), até 22 de janeiro, 614 casos foram confirmadostodos com histórico de viagem à cidade de Wuhan, incluindo 15 profissionais de saúde e 17 óbitos² 

 

Os casos estão distribuídos na China (603), Hong Kong (1), Macau (2), Taiwan (1) Tailândia (4), Japão (1), Coréia do Sul (1) e Estados Unidos (1)². O novo coronavírus (2019-nCoV) é uma variação que ainda não havia sido identificada em humanos². 

 

O que é? ³ 

É um novo vírus que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Alguns coronavírus podem causar doenças graves com impacto importante em termos de saúde pública. 

 

Transmissão³ 

As investigações sobre transmissão do novo coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por contato, está ocorrendo e de forma continuada. 

 

Ainda não está claro com que facilidade o novo coronavírus se espalha de pessoa para pessoa. Apesar disso, a transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como: 

 

  • Gotículas de saliva; 
  • Espirro; 
  • Tosse;
  • Catarro; 
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; 
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. 

 

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe e, portanto, o risco de maior circulação mundial é menor. O vírus pode ficar incubado por duas semanas, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção. 

 

Sintomas³ 

Os sinais e sintomas clínicos são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. 

 

Os principais são sintomas são: 

 

  • Febre; 
  • Tosse; 
  • Dificuldade para respirar. 

  

Diagnóstico³ 

É necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o vírus. O diagnóstico do novo coronavírus é feito com a coleta de amostra (por exemplo, escarro ou lavado traqueal ou lavado broncoalveolar), que está indicada sempre que ocorrer a identificação de caso suspeito.   

  

Tratamento³ 

Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano. No caso do novo coronavírus é indicado repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas, dependendo do caso, como o uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos) e de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse. 

 

Assim que os primeiros sintomas surgirem, é fundamental procurar ajuda médica imediata para confirmar diagnóstico e iniciar o tratamento. 

 

Prevenção³ 

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

 

  • Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas; 
  • Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente; 
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal; 
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; 
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações. 

 

Fontes:  
1 – Informe Técnico – Novo Coronavírus – Ministério da Saúde. Disponível em http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/junho/10/Informe-Tecnico-para-Profissionais-da-Saude-sobre-MERS-CoV-09-06-2014.pdf. Último acesso em 28 de janeiro de 2020. 
2 – Alerta: Infecção pelo Novo Coronavírus – Centro de Vigilância Epidemiológica – Governo do Estado São Paulo. Disponível em http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-respiratoria/coronavirus/coronavirus_alerta_01_23jan2020.pdf. Último acesso em 28 de janeiro de 2020. 
3 – Novo coronavírus: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção – Ministério da Saúde. Disponível em http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/novocoronavirus. Último acesso em 28 de janeiro de 2020.