São Paulo, 22 de maio de 2019 – A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por meio do Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas (LASSBio), anuncia parceria inédita no Brasil para identificação de novas moléculas para desenvolvimento de projetos científicos de novos fármacos. O LASSBio é sede do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fármacos e Medicamentos (INCT-INOFAR) – rede de pesquisa que articula competências científicas da área, presentes em diferentes Universidades e Centros de Pesquisas do País.

 

O acordo entre a Academia e a indústria farmacêutica tem por objetivo estabelecer parceria técnico-científica visando a pesquisa e desenvolvimento de medicamentos inovadores, capacitação de recursos humanos, além de absorção e transferência de tecnologia. “Temos o início de uma parceria única no Brasil, onde toda a cadeia de inovação farmacêutica se beneficiará. Hoje, as universidades têm uma ideia, desenvolvem projetos e criam conhecimento, mas tudo isso acaba em uma renomada publicação científica. Neste modelo, a indústria farmacêutica poderá desenvolver novos medicamentos, que chegará aos pacientes. E as universidades envolvidas receberão recursos, advindos de todo o trabalho desenvolvido, que fomentará ainda mais conhecimento e novas descobertas”, explica o Professor Eliezer Barreiro, coordenador Científico do LASSBio / ICB-UFRJ e do INCT-INOFAR.

 

Dor, leishmaniose, inflamação e depressão são os primeiros alvos escolhidos para esta parceria. “Nosso planejamento estratégico prevê que até 2030, 15% de todas as nossas vendas sejam revertidas para pesquisa & desenvolvimento. Em 2018 investimos R$ 250 milhões na pesquisa de fármacos e medicamentos e outros R$ 155 milhões estão sendo investidos no Centro Eurofarma de Inovação”, afirma Martha Penna, vice-presidente de Inovação.

 

O acordo prevê ainda o acesso ao acervo de 2 mil moléculas, muitas com propriedades biológicas comprovadas, que constitui a Quimioteca do LASSBio. Além disso, a Eurofarma e o LASSBio desenvolverão em conjunto, atividades vinculadas aos projetos científicos, nas áreas de síntese orgânica e farmacologia. “O jovem doutor envolvido nesses projetos científicos quer conquistar reconhecimento profissional pela molécula que ele ajudou a descobrir. Mas, para transformar em medicamento as pesquisas desenvolvidas no ambiente da universidade, é essencial a parceira com a indústria farmacêutica. Tenho certeza de que a partir do convênio com a Eurofarma, em breve, a população terá acesso a um novo fármaco que fale português”, finaliza Barreiro.

 

Sobre o Grupo Eurofarma

O Grupo Eurofarma é uma empresa de saúde, concentrada em oferecer produtos e serviços para melhorar a vida das pessoas com qualidade, inovação e preço justo nas áreas de Prescrição Médica, Isentos de Prescrição, Genéricos, Hospitalar, Oncologia e Veterinária. Só no Brasil, a companhia oferece 287 produtos em 622 apresentações, atende 30 especialidades médicas e cobre 101 classes terapêuticas, que representam 89% das vendas do varejo farmacêutico.

 

Fundado em 1972 e primeira multinacional farmacêutica de capital 100% brasileiro, possui operação própria em 20 países, mantendo importante parque fabril no Brasil e plantas em outros 6 países da América Latina. Em 2018, o grupo gerou vendas de R$ 4,3 bilhões e emprega mais de 6,7 mil colaboradores.

 

Para mais informações, acesse www.eurofarma.com.br

Facebook: @eurofarma | LinkedIn: @eurofarma | Instagram:@eurofarma_br

 

Informações para a imprensa:

 

G&A – Relações Públicas

André Pascowitch – 11 5090-8600 r.8646 – andre@gaspar.com.br

Guilherme Gaspar – Tel. 11 3065-3045 – guilherme@gaspar.com.br