Asma é uma das doenças respiratórias crônicas mais comuns, juntamente com a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica¹. As principais características dessa doença são dificuldade de respirar, chiado e aperto no peito, respiração curta e rápida¹. Os sintomas pioram à noite e nas primeiras horas da manhã ou em resposta à prática de exercícios físicos, à exposição a alergias, à poluição ambiental e a mudanças climáticas¹. 

 

A asma é uma das doenças crônicas mais comuns que afeta tanto crianças quanto adultos, sendo um problema mundial de saúde e acometendo cerca de 300 milhões de pessoas². Estima-se que no Brasil existem aproximadamente 20 milhões de asmáticos². A asma é uma causa importante de faltas escolares e no trabalho². 

 

A asma costuma ser classificada segundo os fatores desencadeadores de sintomas, a gravidade e frequência dos sintomas, ou mesmo de acordo com a resposta aos tratamentos disponíveis³. A inflamação é o aspecto central de muitas doenças crônicas pulmonares, incluindo a asma³ 

 

A asma tem cura? 

A asma não tem cura, mas com o tratamento adequado os sintomas podem melhorar e até mesmo desaparecer ao longo do tempo¹. Por isso, é fundamental fazer acompanhamento médico correto e constante, a maioria das pessoas com asma pode levar uma vida absolutamente normal¹. 

 

Em casos extremos e raríssimo, a asma pode matar, principalmente quando a crise está muito intensa e não é feito o tratamento correto¹. Se a pessoa tiver alguma outra complicação clínica (problema de saúde), o corpo pode ficar ainda mais debilitado¹. No surgimento dos primeiros sintomas, procure um médico imediatamente¹. 

 

Quais são as possíveis complicações da asma¹? 

A asma pode desencadear uma série de processos que podem resultar em complicações, algumas graves. As principais são: 

 

  • Capacidade reduzida de se exercitar ou fazer outras atividades 
  • Insônia
  • Alterações permanentes no funcionamento dos pulmões 
  • Tosse persistente
  • Dificuldade para respirar, a tal ponto que precise de ajuda (ventilação) 
  • Hospitalização e internação por ataques severos de asma 
  • Efeitos colaterais de medicações usadas para controlar a asma
  • Morte

 

O que são gatilhos da asma²? 

São fatores que, quando o asmático é exposto a eles, podem piorar muito a asma ou fazer aparecer sintomas. Alguns gatilhos apenas pioram os sintomas, outros pioram também a inflamação dos brônquios. Os principais gatilhos da asma são: 

 

 – Ácaros – organismos microscópicos que se alimentam de descamação da pele humana, de pelos de animais e também do mofo. Os ácaros habitam locais onde há acúmulo de poeira. Os ácaros e seus excrementos pioram a asma por aumentar a inflamação dos brônquios. 

 

 – Fungos  micro-organismos que crescem a uma temperatura acima de 37ºC e umidade acima de 50%. Estes são encontrados no fim do verão e no outono, estações em que predominam ventos quentes. Casas escuras, úmidas e mal ventiladas são ideais para o crescimento dos fungos. Também pioram a asma por aumentar a inflamação dos brônquios. 

 

– Pólens – são gatilhos comuns (flores, gramas, árvores) que predominam fora de casa sendo carregados pelo vento. A polinização se dá após uma chuva prolongada, seguida de um clima seco sendo comum na primavera. Os pólens também pioram a asma por aumentar a inflamação dos brônquios. 

 

– Animais de estimação – os pelos de animais podem piorar a asma, mas o grau e a frequência da exposição é que determinarão os sintomas. Além dos pelos, a descamação da pele do animal, a saliva, a urina e outros tipos de excreções podem ser gatilhos da asma e essas podem ficar no ambiente por até seis meses após a retirada do animal.  

 

 – Fezes de barata – exposição a fezes pode provocar sintomas de asma. Piora por aumento da inflamação dos brônquios. 

 

 – Infecções virais  algumas infecções virais são capazes de causar sintomas de asma ou de piora, e entre eles o vírus da gripe e do resfriado comum. Alguns asmáticos são mais sensíveis do que outros. 

 

 – Fumaça de cigarro  a fumaça do cigarro é prejudicial aos asmáticos, mesmo se o doente não fumar. Asmáticos filhos de pais fumantes estão sujeitos a piora dos sintomas e da própria gravidade da asma. A fumaça do cigarro, além de aumentar os sintomas também pode aumentar a inflamação dos brônquios. 

 

 – Poluição ambiental  a exposição à poluição do ambiente em geral e poluição do ambiente de trabalho também pode piorar a asma. 

 

 – Exposição ao ar frio – Ar muito frio e seco pode desencadear sintomas de asma por irritar os brônquios do asmático. Contudo, esse ar tem que ser muito frio, como o que ocorre nos invernos. 

 

Fontes: 
1– Ministério da SaúdeAsma: causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. 2017. Disponível em http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/asma. Último acesso em 10 de dezembro de 2019. 
2– Asma – Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Disponível em https://sbpt.org.br/portal/espaco-saude-respiratoria-asma/. Último acesso em 10 de dezembro de 2019. 
3 – Asma: suas origens, seus mecanismos inflamatórios e o papel do corticosteroide – Scielo. Disponível em http://scielo.iec.gov.br/pdf/rbps/v15n1/v15n1a07.pdf. Último acesso em 10 de dezembro de 2019.