O colesterol não é inteiramente o vilão da saúde, porém seu nome está sombriamente ligado a ataques cardíacos, derrames e outros tipos de doenças cardiovasculares. O corpo de um ser humano precisa de colesterol, que é um tipo de lipídio (outro nome para gordura) que ajuda a produzir membranas celulares, hormônios importantes como testosterona e estrogênio e ácidos biliares necessários para digerir e absorver gorduras e vitamina D¹.

O corpo transporta o colesterol em duas partículas principais: lipoproteína de baixa densidade (LDL), chamado colesterol ruim e lipoproteína de alta densidade (HDL), o colesterol bom. Excesso de LDL na corrente sanguínea ajuda a criar as placas prejudiciais cheias de colesterol que crescem dentro das artérias. Ou seja, o que é “ruim” sobre o colesterol não é a substância em si, mas o quanto dele existe na corrente sanguínea e em que tipo de transportador¹.

Mas o que faz com que o nível de LDL de uma pessoa seja alto? Na maioria das vezes, a dieta é o principal culpado. Comer alimentos ricos em gorduras saturadas, gorduras trans e carboidratos de fácil digestão aumenta o LDL¹.

A boa notícia é que o colesterol alto pode ser tratado, reduzindo o risco de doenças cardíacas e derrames, com algumas mudanças no estilo de vida, com comportamentos mais saudáveis²:

 

Alimentação mais saudável para o coração: do ponto de vista dietético, a melhor maneira de diminuir o colesterol é reduzir a gordura saturada e a gordura trans. A American Heart Association recomenda limitar a gordura saturada a 5 a 6% das calorias diárias, reduzindo, se necessário, a ingestão de carne vermelha e laticínios feitos com leite integral (substituindo por leite desnatado, laticínios com pouca ou sem gordura). Limitar as frituras e cozinhar com óleos saudáveis, como óleo vegetal, também são importantes.

Uma dieta saudável para o coração também inclui frutas, legumes, grãos integrais, aves, peixes e nozes. E não esqueça de reduzir os alimentos e bebidas açucarados.

Torne-se mais ativo fisicamente: Ou seja, pratique alguma atividade física. Um estilo de vida sedentário reduz o colesterol HDL (bom). Apenas 150 minutos de exercícios aeróbicos de intensidade moderada por semana são suficientes para diminuir o colesterol e a pressão alta. E há muitas boas opções: caminhada rápida, natação, ciclismo ou até uma aula de dança.

Parar de fumar: Fumar reduz o colesterol HDL (bom). Ao parar, os fumantes podem diminuir seus níveis de colesterol e ajudar a proteger as artérias. Os não fumantes devem evitar a exposição ao fumo passivo.

Perdendo peso: estar acima do peso ou obeso tende a aumentar o colesterol LDL (ruim) e diminuir o colesterol HDL (bom). Uma perda de peso de apenas 10% pode ajudar a melhorar os números altos.

 

Fontes:
1– Cholesterol – Harvard Health Publishing- Harvard Medical School. Disponível em https://www.health.harvard.edu/topics/cholesterol. Último acesso no dia 4 de junho de 2020.
2- Prevention and Treatment of High Cholesterol (Hyperlipidemia) – American Heart Association. Disponível em https://www.heart.org/en/health-topics/cholesterol/prevention-and-treatment-of-high-cholesterol-hyperlipidemia. Último acesso no dia 4 de junho de 2020.