Segundo a OMS, mulheres na idade reprodutiva e crianças de até 2 anos de idade são os maiores candidatos a apresentarem carências nutricionais¹. A anemia é particularmente comum entre as mulheres que menstruam um fluxo abundante, e também na fase de gravidez e parto, em que a demanda aumenta¹.  

 

Estudos mostram que, de um modo geral, a ingestão de minerais como ácido fólico durante a gravidez é insuficiente². Isso é preocupante quando associamos carência de ácido fólico não somente a problemas para a mãe, mas também ao feto: a baixa ingestão de ácido fólico está associada ao risco de préeclâmpsia, anemia megaloblástica, baixo peso ao nascer, parto prematuro, alterações cromossômicas e defeitos no fechamento do tubo neural². 

 

A OMS recomenda a dose diária de 400mcg de ácido fólico. No primeiro trimestre o objetivo maior é a prevenção dos defeitos de tubo neural. Nos meses subsequentes, a prevenção de desfechos ruins na gestação, assim como anemia materna e fetal³. 

  

O que é ácido fólico? 

Ácido fólico ou folato é uma vitamina hidrossolúvel, encontrada mais de 90% como poliglutamatos, principalmente em vegetais folhosos verdes como espinafre, couve, brócolis, e em vísceras como fígado e rim, e também em leguminosas e algumas frutas frescas4

.   

 

O folato é sintetizado por microrganismos e plantas superiores, mas não por mamíferos, para os quais é um nutriente essencial, necessitando ser ingerido através dos alimentos4. O ácido fólico tem um papel fundamental no processo da multiplicação celular, sendo, portanto, imprescindível durante a gravidez4. O folato interfere com o aumento dos eritrócitos, o alargamento do útero e o crescimento da placenta e do feto4.   

 

O ácido fólico é espontaneamente ingerido em quantidades ideais apenas com a alimentação4. Entretanto, em situações especiais, como na gravidez, é comum a prescrição de suplemento medicamentoso4. São encontrados facilmente em drogarias em forma medicamentosa em comprimido, solução ou gotas4.  

 

Como utilizar o ácido fólico no período gestacional? 

O que a OMS preconiza é o uso durante a gestação toda. Inclusive, os polivitamínicos usados no segundo e terceiro trimestres contêácido fólico³. A dose para suplementação do ácido fólico é de 400 µg (0,4 mg) diariamente4 

 

FONTES:  
  1. ALMEIDA, Lana CarneiroandCARDOSO, Marly Augusto. Recommendations for folate intake in women. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2010001100003&script=sci_abstractÚltimo acesso em 29 de maio de 2019.  
  2. CRIVELLENTI, Lívia de Castro; BARBIERI, PatríciaandSARTORELLI, Daniela Saes.Folate inadequacy in the diet of pregnant women. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732014000300321Último acesso em 29 de maio de 2019. 
  3. DiretrizSuplementação diária de ferro e ácido fólico em gestantes. OMS – Organização Mundial da Saúde. Disponível em https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/77770/9789248501999_por.pdf;jsessionid=FF04052A6482E2AEAD2EC8CE63495A6A?sequence=9Último acesso em 29 de maio de 2019. 
  4.  Como utilizar o ácido fólico no período gestacional? Biblioteca virtual em saúde. Disponível em https://aps.bvs.br/aps/como-utilizar-o-acido-folico-no-periodo-gestacional/. Último acesso em 23 de maio de 2019.