O fígado é um dos órgãos mais importantes do corpo humano. Está localizado atrás das costelas, possui coloração vermelho escuro e pesa aproximadamente 1500g. Tem diversas funções para o organismo como metabolizar a glicose e a proteína, metabolizar medicamentos e toxinas, armazenar vitaminas e ferro, formar a bile e produzir diversas substâncias relacionadas à coagulação sanguínea. Quando algo não está bem, a pessoa pode apresentar sinais e sintomas como barriga inchada, forte dor abdominal e ainda, um aspecto amarelado na cor da pele e dos olhos e urina mais escura¹.

As doenças no fígado vão além da cirrose (leia mais aqui) e das hepatites A, B e C (artigo sobre o tema aqui)¹. Conheça outras que tem origem neste mesmo órgão:

Esteatose hepática, causada pelo acúmulo de gordura no fígado, é provocada por muitas causas distintas, como a ingestão de alimentos gordurosos, bebidas alcoólicas em excesso, alguns medicamentos e toxinas, obesidade, hipertensão arterial ou diabetes. Os sintomas são pouco perceptíveis, mas se não tratado, podem evoluir para um quadro mais grave².

Icterícia obstrutiva¹ é provocada por diferentes causas que levam a obstrução dos canais biliares, tais como presença de cálculos nas vias biliares, diversos tipos de tumores ou até mesmo doença dos próprios canais biliares, como a colangite esclerosante primária. A pessoa pode apresentar uma coloração amarelada na pele, a urina com amarelo forte e fezes mais claras. A parte branca dos olhos (chamada esclerótica) também pode ficar amarelada³.

Hipertensão portal¹ é quando a pressão sanguínea aumenta na veia porta (que leva o sangue até o intestino). Pode ser provocado pela cirrose hepática ou pela esquistossomose, transmitida por um parasita existente em caramujos que infectam humanos que tem contato com água contaminada4. A esquistossomose é também conhecida como “barriga d’água”.

Câncer no fígado ou carcinoma hepatocelular é o segundo câncer que mais mata no mundo. É um tumor causado pela evolução da cirrose, principalmente se for causada pela hepatite B ou C, excesso de álcool ou gordura no fígado. Se diagnosticado precocemente, em alguns casos pode ser curado. O tratamento consiste na cirurgia para retirada do tumor ou um transplante de fígado. A quimioterapia pode ser indicada pelo médico5.

É importante ter alguns cuidados para manter o funcionamento correto do fígado, como ter uma dieta saudável, evitar bebidas alcoólicas e praticar atividades físicas – que ajudará a manter o peso ideal e evitar complicações como diabetes, colesterol alto e obesidade. Uma outra recomendação é não tomar medicamentos em excesso e sem orientação médica, além de anabolizantes¹.

 

Fontes:
1- Fígado – Ministério da Saúde. Disponível em: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/doacao-de-orgaos/figado. Último acesso em 27 de julho de 2020.
2- Esteatose hepática – Sociedade Brasileira de Hepatologia. Disponível em: https://tudosobrefigado.com.br/wp-content/uploads/2020/05/cartilha_esteatose_hepatica_diagramada_nova.pdf. Último acesso em 27 de julho de 2020.
3- Icterícia obstrutiva – Sociedade Brasileira de Hepatologia. Disponível em: https://tudosobrefigado.com.br/wp-content/uploads/2020/05/cartilha_ictericia_diagramada_nova.pdf. Último acesso em 27 de julho de 2020.
4- FELIX, Valter Nilton – Hipertensão Portal, principais determinantes e bases do tratamento. Disponível em: http://www.doencasdofigado.com.br/HIPERTENSAOPORTAL.pdf. Último acesso em 27 de julho de 2020.
5- Câncer primário de fígado (carcinoma hepatocelular) – Sociedade Brasileira de Hepatologia. Disponível em: https://tudosobrefigado.com.br/wp-content/uploads/2018/03/cartilha_CHC_24042020.pdf. Último acesso em 27 de julho de 2020.